Share Button

shutterstock_297186296-carne-vermelha

A polêmica das carnes vermelhas tem gerado muita discussão e medo na sociedade brasileira, nos últimos dias. Especialistas, no entanto, apontam que dificilmente o consumo de carnes contaminadas e fora do prazo de validade poderá levar ao desenvolvimento do câncer.

Ainda que tenham recebido aditivos ou conservantes em quantidade maior que o permitido, seria necessário um período de exposição prolongado a fim de que esses agentes possam causar danos significativos ao organismo. Infectologistas dizem que as substâncias utilizadas para conservar o alimento, como o ácido ascórbico (vitamina C), causam danos às células humanas, mas somente se somadas por anos ou décadas de consumo.

A relação entre o ácido ascórbico e o aparecimento de tumores ainda não foi comprovada, pois ainda que os ácidos ou vitaminas causem prejuízos quando consumidos em grande quantidade ou longos períodos, a ciência não encontrou um vínculo que afirme este uso como causa do câncer.

O principal risco, na verdade, está associado ao consumo de alimentos deteriorados, que pode desenvolver infecções gastrointestinais graves. Crianças e idosos estão mais vulneráveis a essas ocorrências, visto que as crianças apresentam um sistema de defesa imaturo, enquanto os idosos apresentam imunodeficiência.