Share Button

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), a estimativa de novos casos de tumores cerebrais/sistema nervoso central (SNC) chegou a 9 mil casos em 2014 e 2015.

O câncer cerebral é caracterizado pelo crescimento desordenado das células normais do cérebro. Este câncer pode se originar a partir de células do sistema nervoso central (SNC), classificados como primários, ou podem ter origem em tumores localizados em outros órgãos e as células doentes irem parar no cérebro, classificados como secundários.

O crescimento pode ser mais lento ou rápido de acordo com o tumor cerebral e causar um edema cerebral (inchaço). Assim, ele pode invadir ou comprimir estruturas do cérebro e gerar diversos sintomas, como convulsões, dor de cabeça, náuseas ou vômitos, alterações cognitivas ou na fala, fraqueza etc.

Após a avaliação dos sintomas, o médico poderá solicitar alguns exames como tomografia ou ressonância. Em alguns casos, é possível que seja solicitada uma biópsia, para coletar uma amostra pequena do tumor.
O tratamento do câncer cerebral pode variar de acordo com o tipo de tumor, faixa etária do paciente, localização, entre outras características. Pode ser necessário fazer cirurgia, radioterapia ou quimioterapia.