Share Button

Um estudo realizado na Universidade de Otago, na Nova Zelândia, revela que o consumo de álcool está ligado ao aumento no risco de uma pessoa desenvolver até sete tipos diferentes de câncer. Câncer de boca, garganta, laringe, esôfago, fígado, cólon, intestino e mama são as principais doenças relacionadas ao hábito.

De acordo com a pesquisa, o consumo de álcool foi responsável por cerca de 500 mil mortes por câncer em 2012, o que corresponde a, aproximadamente, 6% desses óbitos ao redor do mundo. O estudo alerta, também, que mesmo os indivíduos que bebem uma quantidade menor ou moderada de álcool têm mais chances de desenvolver a doença do que aquelas que não consomem a substância.

Segundo os pesquisadores, não existe um nível seguro de consumo ao se falar sobre a possibilidade de adquirir câncer. O trabalho sugere, ainda, que os benefícios de consumir álcool são cada vez menos relevantes, como estudos antigos que indicam que uma taça de vinho por dia faria bem ao coração. De acordo com uma das pesquisadoras, esses benefícios são vistos cada vez mais como falsos ou irrelevantes em comparação com o aumento dos cânceres.

O risco aumenta de forma considerável quando o consumo de álcool está ligado ao uso de cigarro, que também está associado a diferentes tipos de câncer. A pesquisa aponta que aqueles que param de ingerir a substância podem reverter os riscos em certa medida, pelo menos em relação ao câncer de faringe, laringe e fígado.