Share Button

sarcoma

Muitas pessoas nunca ouviram falar desse tipo de câncer e poucas sabem, de fato, o que é um sarcoma. Esse tipo de tumor corresponde a aproximadamente  1% de todos os casos e , no Brasil, a estimativa é de 7.500 novas ocorrências por ano.

Julho é o mês de informação e prevenção a esse tipo de câncer. O conhecimento é sempre nosso aliado no combate a essa forma da doença.

O que é um sarcoma?

 Sarcoma é um tipo de câncer que se desenvolve nas partes moles e ósseas do corpo. As partes moles do corpo são basicamente os tecidos que ficam entre a pele e os órgãos. São os músculos, gorduras, tendões, nervos, etc. As partes ósseas, por sua vez, respondem por nossos ossos. Os sarcomas ósseos, no entanto, representam uma minoria de 20% dos casos.

Aproximadamente 80%  dos casos  de sarcoma são, então, das partes moles. As partes moles são, geralmente, mais de 50% do peso do corpo humano. Esses tumores podem, portanto, se desenvolver em quase qualquer lugar. Mas, geralmente, aparecem nos braços e nas pernas.

Existem diversas categorias possíveis para especificar o tipo do sarcoma e a nomenclatura varia de acordo com o tecido onde o tumor se originou. O sarcoma do tecido gorduroso é chamado lipossarcoma, por exemplo. O dos músculos lisos tem o nome de leiomissarcoma. No total, são mais de 50 tipo de tumores catalogados.

Sintomas e prevenção do sarcoma

 O sarcoma é um tipo de câncer com poucos e discretos sintomas. Geralmente um pequeno “lombinho” na região afetada é notável. Eles costumam crescer de forma rápida e podem atingir grandes dimensões. Esses tumores costumam ser indolores, mas os sarcomas ósseos podem causar alguma dor.

Não existe recomendação formal de prevenção para essa doença. Não se expor a agentes cancerígenos de qualquer tipo é sempre uma forma de evitar qualquer tipo de câncer, incluindo o sarcoma. Pessoas com a síndrome de Li-Fraumeni podem ter uma predisposição maior e devem estar mais atentas.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico do sarcoma deve ser feito por um médico. Além do exame físico, exames de imagem são solicitados para a avaliação, e a conclusão só vem com uma biópsia do tumor.

Em caso de confirmação, é fundamental o estadiamento da doença – ou seja, a avaliação do estádio, disseminação e sobrevida – e a detecção do grau de malignidade do tumor antes de definir o tratamento. É necessário, ainda, fazer a avaliação dos pulmões, pois esse órgão é o que potencialmente mais sofre metástase desse tipo de câncer.

O tratamento do sarcoma pode envolver cirurgia, radioterapia e quimioterapia. Atualmente, o mais comum para tratar sarcomas de alto grau nas extremidades é combinar as três alternativas.

Com informações de: AC Camargo, OncoMed e Instituto Vencer O Câncer.