Share Button

Tecnologia para ajudar na saúde humana. É isso que apostam os autores de um estudo com tecnologia computadorizada de mapeamento genético. Em testes usando a abordagem, cientistas conseguiram detectar alterações em exames de diversos tipos de câncer, em mais de 100 pacientes em estágios precoces da doença. O estudo foi publicado pela revista Science Translational Medicine. Os pesquisadores também disseram que o método poderá ajudar a reduzir as ocorrências de resultados falso positivo.

O estudo pode ajudar tanta à comunidade médica quanto a pacientes, já que um dos maiores complicadores do câncer é o diagnóstico tardio, que pode reduzir consideravelmente as chances de cura.

A pesquisa identificou mutações relacionadas a 58 genes amplamente ligados a tumores em 194 pessoas com câncer colorretal, de mama, de pulmão ou de ovário, sendo todas as doenças relativamente precoces. Ainda segundo o estudo, em 44 indivíduos saudáveis não foram detectadas mutações derivadas de câncer nas amostras de sangue.

Victor Velculescu, um dos pesquisadores, disse em comunicado que o desafio foi desenvolver um exame de sangue que pudesse prever a presença provável do câncer sem conhecer as mutações genéticas presentes no tumor de uma pessoa. “Quando encontramos uma alteração de DNA, queremos ter certeza de que é o que pensamos ser”, disse o pesquisador.

Os cientistas vão continuar desenvolvendo e aprimorando a pesquisa. A previsão é exame comece a ser usado em até cinco anos.

Via: Diário de Pernambuco