Share Button

 Já é bastante divulgado que o cigarro é responsável por 90% dos casos de câncer de pulmão. Porém, os efeitos do tabagismo também podem afetar outros órgãos do corpo humano. O Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) acaba de divulgar uma pesquisa que apontou o fumo como fator de risco, também, para o câncer de bexiga, chegando a ser o causador de 65% dos casos em homens e de 25% em mulheres. O estudo foi realizado com pacientes atendidos pela equipe de urologia do Icesp, nos últimos 12 meses.

“A maioria das pessoas associa o cigarro apenas ao câncer de pulmão, porém, podemos afirmar que o tabagismo aumenta em três vezes a chance de desenvolver tumor na bexiga”, afirma Leopoldo Ribeiro Filho, urologista e especialista da equipe de uro-oncologia do Instituto. A fumaça do cigarro contém inúmeras substâncias químicas e carcinogênicas. Quando os fumantes inalam a fumaça, elas são absorvidas pelos pulmões, entram na corrente sanguínea e são filtradas pelos rins. Uma vez na urina, todos esses compostos do tabaco podem danificar as células da bexiga, contribuindo diretamente para o desenvolvimento do câncer, em longo prazo.

Sintomas – Geralmente, o câncer de bexiga apresenta como sintomas a presença de sangue e espuma na urina, dor e dificuldade para urinar. Infecções urinárias frequentes também são sinais de alerta. O diagnóstico é realizado por exames de urina e de imagens, como tomografia computadorizada e citoscopia (análise interna da bexiga por um aparelho com câmera).

Com informações do Portal R7