Categorias
Medicamentos

Everolimo e Xtandi são novas apostas para o tratamento de câncer

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou dois medicamentos que agora farão parte do tratamento de câncer. Um é o primeiro medicamento genérico com a substância everolimo. Ele é indicado para câncer de mama em estado avançado, de rim, entre outros.

O produto chegará ao Brasil por um preço pelo menos 35% menor que o preço do medicamento de referência atual. Ele será produzido pela Natco Pharma Limited, sediada na Índia. A dona do registro no Brasil e responsável pela comercialização do produto no país é a Natcofarma do Brasil Ltda.

Indicações aprovadas para o everolimo:

  • câncer de mama avançado receptor hormonal-positivo;
  • tumores neuroendócrinos avançados;
  • câncer avançado do rim;
  • angiomiolipoma renal (um tumor do rim) associado ao Complexo da Esclerose Tuberosa (TSC) (em pacientes acima de 18 anos);
  • Sega (astrocitoma subependimário de células gigantes) associado ao Complexo da Esclerose Tuberosa (TSC).

O outro é o Xtandi (enzalutamida), que agora tem indicação terapêutica para o tratamento de homens com câncer de próstata não metastático resistente à castração. O produto será comercializado na forma farmacêutica de cápsula gelatinosa, com concentração de 40 miligramas (mg).

O produto tem registro na Anvisa desde dezembro de 2014, com indicação aprovada como antineoplásico para o tratamento de câncer de próstata metastático resistente à castração, em adultos que são assintomáticos ou ligeiramente sintomáticos, após falha de terapia de privação androgênica. Também tem uso aprovado para tratamento de câncer de próstata metastático resistente à castração em adultos que já tenham recebido terapia com docetaxel.

De acordo com estudos realizados pela indústria, o Xtandi apresentou melhora na sobrevida livre de metástases. Testes indicaram que o medicamento reduziu em 70,8% o risco de agravamento da doença quando comparado ao placebo, além de ter aumentado a mediana da sobrevida livre de metástases de 14,7 meses (no grupo placebo) para 36,6 meses no grupo da enzalutamida (diferença de 21,9 meses).

O Xtandi é fabricado pela empresa Catalent Pharma Solutions, LLC, localizada em Saint Petesburg, Flórida (EUA), e a detentora do registro do medicamento no país é a Astellas Farma Brasil Importação e Distribuição de Medicamentos Ltda.

Fonte: Ascom/Anvisa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *