Ídolo do basquete brasileiro já passou por duas cirurgias e mantém uma vida normal

Reconhecido no basquete mundial, o ex-jogador Oscar Schmidt, de 55 anos, luta contra um câncer no cérebro. Ele passou por uma cirurgia no fim de abril, no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Agora, está fazendo sessões de radioterapia. Segundo o médico de Oscar, o neurologista Marcos de Queiroz, a decisão de fazer a operação aconteceu por conta de um aumento no tumor que o ex-atleta tinha desde 2011.

“Nós operamos na primeira vez em maio de 2011. O tumor já era maligno em 2011, mas de baixo grau (2). Optamos apenas por seguir com exame de imagem constante. Em abril, ele fez uma nova ressonância e apontou um crescimento (grau 3). Optamos por operar, apesar de o Oscar estar ótimo”, explica o médico.

A escala de gravidade dos tumores vai de 1, o único considerado benigno, a 4, o mais grave. De acordo com Queiroz, que recebeu autorização de Oscar para comentar o caso, o tumor retirado era mais agressivo e, por isso, precisou ser retirado. Para evitar que resquícios se alastrem, o ex-jogador precisa fazer sessões de radioterapia.

“Removemos o tumor e, nesta segunda amostra, a malignidade do tumor era maior. Isso significa que ele é mais agressivo, em termos de velocidade e invasão do cérebro. Por isso, ele está fazendo radioterapia e depois seguirá para a quimioterapia”, pontua.

Apesar de todo o susto, Oscar está bem e tem levado uma vida normal. Segundo o neurologista, apesar do problema, o ex-jogador estará nos Estados Unidos, em setembro, para a cerimônia de entrada no Hall da Fama do Basquete Mundial. “Uma das coisas mais importantes para todos os brasileiros que gostam de esporte é que em setembro ele estará bem na cerimônia do hall da fama do basquete”, garante.

Fonte: Globoesporte.com